PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Gerando alegria no meio do sofrimento e do medo

22 de Junho de 2017

O Mario Vincenzo Pellegrino, jovem comboniano italiano, conta-nos as suas primeiras experiências missionárias num país mergulhado no sofrimento e no medo, como é o Sudão do Sul.


O Mario fala também português. Fez o noviciado em Santarém, nos anos de 2012 a 2014. Depois foi para o Escolasticado Internacional de Pietermaritzburg, na África do Sul, para fazer a Teologia. Desde fevereiro deste ano, encontra-se na missão de Nyal, enquanto espera pela ordenação sacerdotal, que se realizará no próximo ano.


O material, em inglês, encontra-se na página dos Missionários Combonianos do Sudão do Sul.

A reconfiguração do Instituto à luz da nossa história

22 de Junho de 2017

O P. Manuel Augusto Lopes Ferreira, comboniano português, apresentou o tema “A reconfiguração do Instituto à luz da nossa história” durante o Simpósio dos 150 anos da fundação do Instituto dos Missionários Combonianos, que se realizou de 26 de Maio a 1 de Junho, na Casa Generalícia, em Roma.


A reflexão, diz o P. Manuel Augusto, pretende fazer um percurso histórico, “para ver como o nosso percurso desde a fundação até hoje nos pode iluminar na tarefa da configuração que temos de fazer no presente”.


Para ver AQUI.

Boa Festa do Sagrado Coração de Jesus

21 de Junho de 2017

A solenidade do Sagrado Coração de Jesus celebra-se na sexta-feira, dia 23 de junho.


“Vivamos esta festa tão cara a todos nós com o olhar fixo no Coração de Jesus, deixando-nos enriquecer com o testemunho daqueles que nos precederam ao longo da história do nosso Instituto e empenhando-nos sempre mais na fidelidade quotidiana aos valores do Evangelho. Boa Festa do Sagrado Coração! No ano do 150º aniversário da fundação do nosso Instituto”, diz a mensagem do Conselho Geral dos Missionários Combonianos.


«Deus amou tanto»


«Deus amou tanto o mundo, que lhe entregou o seu Filho Unigénito, a fim de que todo o que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna. De facto, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele.»


(Jo 3, 16)


Caríssimos confrades,


Saudações e Orações.


Boa Festa do Sagrado Coração de Jesus.


Deus nosso Pai mandou o seu único Filho, como sinal do seu amor pela humanidade necessitada e sofredora e consolou-nos a todos nós através do envio do Espírito Santo, dom do seu filho Jesus Cristo, nosso Senhor Crucificado e Ressuscitado. Nós acreditamos que cada discípulo e discípula, sejam chamados e enviados a anunciar, testemunhar e servir este amor de Deus. Nós todos agradecemos ao Senhor porque fez de São Daniel Comboni e de nós, os seus filhos, Missionários Combonianos, mensageiros, testemunhas e servos do seu amor.


Tudo o que o nosso pai Fundador, São Daniel Comboni, compreendeu do grande amor de Deus, levava-o ao Sagrado Coração de Jesus, símbolo do amor de Deus pela humanidade.


«Necessitando extremamente da ajuda do Sagrado Coração de Jesus, soberano da África Central, o qual é a alegria, a esperança, a fortuna e tudo para os seus pobres missionários, dirijo-me a si, amigo… para encomendar e confiar ao S. Coração os interesses mais preciosos da minha laboriosa e difícil missão, à qual consagrei toda a minha alma, o meu corpo, o meu sangue e a minha vida!» (E 5255-5256).


Caríssimos confrades, neste ano em que celebramos os 150 anos do nosso Instituto Missionário, queremos continuar a contemplar e agradecer a Deus, pelo amor vivido na sua vida por São Daniel Comboni e por tantos nossos confrades e pela grande generosidade para com o povo de Deus não obstante as nossas fragilidades, os nossos limites e os nossos pecados.


«Quero partilhar a vossa sorte e o dia mais feliz da minha existência será aquele em que eu possa dar a vida por vós» (E 3159).


Sim, Comboni e os nossos confrades deixaram alargar o seu coração para que se assemelhasse um pouco mais ao de Jesus, para fazer causa comum e participar com generosidade na missão de Deus, entre os povos, onde estamos, e sobretudo entre os que sofrem, são marginalizados e empobrecidos.


«Encontro-me sempre com os meus queridos leprosos, falo-lhes da bondade do Senhor, e ensino a palavra de Deus. Tenho a igreja contígua à minha casita, Jesus próximo de Giosuè: quem, mais feliz do que eu? Não é este um pequeno céu? Quanto ao mal que me visitou, oh, eu beijo a mão do Senhor que me presenteou com a lepra; poder sofrer assim; para estas almas, não é uma graça? Eu não tenho senão um desejo: morrer leproso entre os meus leprosos!» (Ir. Giosuè Dei Cas, 1880-1932)


Sim, continuamos a agradecer ao Senhor por cada um dos nossos confrades que fazem causa comum e anunciam Jesus Cristo e o seu Evangelho para construir o Reino de Deus, recordando-nos que alguns pagaram o seu testemunho com a própria vida.


«A Cruz é a solidariedade de Deus, que assume o caminho e o sofrimento humano, não para o eternizar mas para o suprimir. A maneira com que quer suprimi-lo não é através da força nem com o domínio, mas pela vida do amor. Cristo pregou e viveu esta nova dimensão. O medo da morte não o fez desistir do seu projecto de amor. O amor é mais forte do que a morte» (P. Ezechiele Ramin, Homilia aos Fiéis, Sexta-feira Santa, Cacoal, 05.04.1985)


Portanto, vivamos esta festa tão cara a todos nós com o olhar fixo no Coração de Jesus, deixando-nos enriquecer com o testemunho daqueles que nos precederam ao longo da história do nosso Instituto e empenhando-nos sempre mais na fidelidade quotidiana aos valores do Evangelho.


Boa Festa do Sagrado Coração!


No ano do 150º aniversário da fundação do nosso Instituto


O Conselho Geral


 



O Conselho Geral, da esquerda: P. Jeremias dos Santos Martins; Fr. Alberto Lamana Cónsola; P. Tesfaye Tadesse Gebresilasie; P. Rogelio Bustos Juárez; e P. Pietro Ciuciulla.

Darfur: Operário salva missionários de sequestro

21 de Junho de 2017

Desde que cheguei a Nyala, Darfur, ja vai para 11 anos, há uma palavra que nós missionários ouvimos frequentemente de tanta gente que nos quer bem. Refiro-me especificamente ao alerta e bom conselho a respeito de sequestros e raptos de veículos e de pessoas, especialmente de estrangeiros. Esta é, de facto, uma triste realidade que não parou de existir desde o inicio da guerra/conflito armado do Darfur, em 2003.


De entre os sequestrados ao longo destes últimos anos contam-se também alguns conhecidos e amigos pessoais, incluindo o pároco da comunidade copta-ortodoxa de Nyala que foi raptado a 14 abril de 2016 e ficou em cativeiro durante 42 dias.


Infelizmente, esta maléfica e diabólica atividade continua atual nestas paragens. Na sexta-feira passada, 9 de junho, de manhãzinha, a horas em que as ruas estão praticamente desertas por ser o mês de Ramadão, o sinistro veio bater à porta da missão católica. Mas, graças ao Deus Altíssimo, não levou a melhor.


Eram três homens: um de arma kalashnikov em punho; outro de rosto completamente velado com o turbante; o terceiro sem qualquer distintivo.


Damos graças a Deus que nenhum de nós os dois missionários se encontrava por perto quando eles bateram à porta da missão.


Tong, operário da missão que veio do Sudão do Sul, tinha chegado um pouco antes. Foi ele próprio que lidou com o caso e que imediatamente nos veio contar enquanto tomávamos o café da manhã.


Depois do apressado e abreviado «Assalam aleicum», ouvimos da sua boca a narração do que aconteceu.


Os assaltantes perguntaram: «Onde estão os abunas (padres)? Chama-os aqui à porta», ameaçaram.


Porém, Tong foi muito corajoso pela maneira como soube repelir os assaltantes: «Podes apertar o gatilho e disparar, se assim o quiseres; fica certo, porém, que não vou buscar os padres.»


Foi arrojada a resposta de Tong àquele que lhe apontava a arma ao peito. O breve relato do corrupto acidente deixou-nos sem palavras e sem reacção imediata.


Mais tarde, conversando com operário, pressenti que tinha algo a acrescentar à história do rapto falhado daquela manhã.


O portão estava aberto. Tong fez questão de me mostrar, mesmo aí ao lado, o local exacto onde esteve parada a carrinha Toyota, à espera de, em caso de êxito final e missão cumprida, arrancar com os dois padres cativos.


A seguir, num misto de orgulho e humildade, confessou: «Se me ponho a pensar donde me veio tal coragem para responder aos atacantes, não saberia explicar». Ao que eu respondi: «Não é questão de pôr-se a pensar; o que temos é muito que agradecer.»


E é mesmo esta a mensagem que aqui deixo ao enviar estas notícias aos amigos. Nós, os padres Lorenzo Baccin e Feliz Martins da missão católica de Nyala não cessamos de agradecer a Deus que nos livrou das mãos dos raptores.


Ao mesmo tempo, a nossa oração é em favor de todos aqueles que são vítimas de sequestros e raptos, como consequência da desgovernação caótica desta região sudanesa do Darfur.


Feliz C. Martins


Nyala – Sudão

Missão Jovem 2017: É hora de agir e cuidar da Casa Comum

31 de Maio de 2017

Nos próximos dias 1 e 2 de julho, regressa o Missão Jovem com o tema “Cuidamos da Casa Comum? É hora de agir!”.


O encontro será cheio de animação, música, teatro, pintura, dança, reciclagem… tudo para aprender como devemos cuidar da nossa Casa Comum.


Vamos ser gotas no oceano e aprender a mudar a nossa vida em função da Natureza. Vamos ser exemplo ao mudar os nossos hábitos e rotinas. Vamos ser jovens de um mundo em mudança.


Incrições até 25 de junho.


Missão Jovem


Missionários Combonianos


R. Augusto Simões, 108


4470-147 Maia


Tel: 229 448 317


Mail: missaojovem@jim.pt


site: www.jim.pt

Portugal: Caminhada jovem a Fátima

03 de Abril de 2017

Vem aí mais uma «Sempábrir», caminhada jovem a Fátima organizada pelo grupo Jovens em Missão (JIM), dos Missionários Combonianos.


O evento, que acontece entre os dias 18 e 22 de julho, está subordinado ao tema «Com Maria, faz caminho» e encerra na Peregrinação da Família Comboniana a Fátima.


Com partida de Coimbra, serão dias intensos cheios de actividades, momentos de silêncio, partilha, oração, convívio e amizade. Calcorreando caminhos e estradas, com a missão no coração, construímos pontes, partilhamos esperanças, anseios e desejos, fazendo experiências únicas da presença de Deus e de partilha com os outros.


Informações


Data: De 18 a 22 de julho 2017


Idade: Jovens a partir dos 16 anos


Inscrições: Até 4 de julho com o P. Jorge Domingues: jovemissio@gmail.com / tel: 916656857 ou na página do JIM.


Programa


Dia 18: Ponto de encontro: Casa dos Combonianos de Coimbra às 19h


Dia 21: Chegada a Fátima


Dia 22 (sábado): Participação na Peregrinação da Família Comboniana – convida a tua família para estar presente

Galeria


Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário