PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Papa celebra Missa em prisão de Roma

18 de Abril de 2019

O Papa celebrará na tarde desta Quinta-Feira Santa, 18 de abril, a Missa na pequena prisão da cidade de Velletri, em Roma. Francisco lavará os pés de doze presos.


A Missa da Ceia do Senhor dá início à celebração o Tríduo Pascal, três dias sucessivos de exercícios religiosos (Missa da Ceia de Quinta-Feira Santa, celebração da Paixão com a adoração da Cruz na Sexta-Feira Santa, o silêncio de Sábado da sepultura do Senhor, a Missa da Vigília Pascal com os ritos baptismais, e termina com a Missa e Segundas Vésperas do Domingo da Ressurreição).


O Papa repetirá o gesto de Jesus, que lavou os pés dos seus discípulos, em sinal de serviço para com os irmãos e de amor solidário na prisão de Velletri.

Surpresa com a exortação apostólica Christus vivit

18 de Abril de 2019

Para o P. José Vieira, Provincial dos Missionários Combonianos em Portugal, a exortação apostólica Christus vivit (Cristo vive) foi uma “surpresa” e o documento tem foco em dois parágrafos.


A encíclica tem, a meu ver, o seu centro em dois números:


107: «Não deixes que te roubem a esperança e a alegria, que te narcotizem para te utilizarem como escravo dos seus interesses. Atreve-te a ser mais, porque o teu ser é mais importante do que qualquer outra coisa. Não te serve ter ou aparecer. Podes chegar a ser aquilo que Deus, teu Criador, sabe que tu és, se reconheceres que és chamado a muito. Invoca o Espírito Santo e caminha com confiança até à grande meta: a santidade. Assim não serás uma fotocópia. Serás plenamente tu próprio»;


143: «Jovens, não renuncieis ao melhor da vossa juventude, não observeis a vida de uma varanda. Não confundais a felicidade com um sofá nem passeis toda a vossa vida diante de um ecrã. Tampouco vos deveis converter no triste espetáculo de um veículo abandonado. Não sejais automóveis estacionados, pelo contrário, deixai brotar os sonhos e tomai decisões. Arriscai, mesmo que vos equivoqueis. Não sobrevivais com a alma anestesiada nem olheis o mundo como se fôsseis turistas. Fazei barulho! Deitai fora os medos que vos paralisam, para que não vos convertais em jovens mumificados. Vivei! Entregai-vos ao melhor da vida! Abri a porta da gaiola e saí a voar! Por favor, não vos aposenteis antes de tempo».


Leia o comentário completo no blogue Jirenna.

Vida em plenitude

18 de Abril de 2019

A Ressurreição de Jesus inaugura um tempo novo na História.


O Papa Francisco, com o seu magistério profético, especialmente com a sua encíclica verde Louvado Sejas, tem vindo a reflectir e a fazer propostas orientadas para a acção que transformem a relação da humanidade com a Natureza e levem a estilos de vida mais solidários e ecológicos.


No entanto, ainda é necessário crescer nessa responsabilidade ambiental e continuar a reconfigurar as relações dos cidadãos, organizações e empresas com o planeta. Robert Heilbroner, ao falar da Terra ameaçada, recorria a uma linguagem apocalíptica e sustentava numa obra publicada na década de 1970 que estávamos às portas de um «armagedão ecológico»; John B. Foster e Brett Clark falam de «emergência planetária». Os ambientalistas asseguram que temos no máximo uma geração para realizar uma transformação radical no nosso estilo de vida, nas nossas formas de produção, nos sistemas económicos e nas nossas relações com a Terra. Só desse modo evitaremos um grande ponto de inflexão, após o qual as grandes mudanças no clima da Terra provavelmente estarão além da nossa capacidade de prevenir e serão irreversíveis.


Nesse contexto de crise ambiental e de preparação para a Páscoa, com a certeza de que vivemos para ressuscitar e não para morrer, o Santo Padre retoma o tema ecológico na mensagem para a Quaresma. No texto – intitulado A criação encontra-se em expectativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus (Rm 8 19) –, Francisco lembra que o mistério de salvação é um processo dinâmico que abrange também a História e toda a criação. E, se o filho de Deus «sabe reconhecer e praticar a lei de Deus, a começar pela lei gravada no seu coração e na Natureza, beneficia também a criação, cooperando para a sua redenção».


Francisco recorda que para não continuarmos orientados pela lógica do imediatismo, do consumismo, da exploração da criação (pessoas e meio ambiente) e da intemperança, estamos chamados a realizar um caminho de verdadeira conversão. Uma mudança de vida que fazemos com esperança, sentindo-nos peregrinos e tendo os olhos sempre fixos no Ressuscitado. «Se não estivermos voltados continuamente para a Páscoa, para o horizonte da Ressurreição, é claro que acaba por se impor a lógica do tudo e imediatamente, do possuir cada vez mais.» E, assim, «acolhendo na nossa vida concreta a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, atrairemos também sobre a criação a sua força transformadora».


O Cristianismo, lembra o teólogo Jürgen Moltmann, é escatologia, é esperança, visão e orientação para diante, mas é também, em si mesmo, abertura e transformação do presente. A ressurreição de Jesus, fundamento da esperança cristã, inaugura um tempo novo na História. É, simultaneamente, promessa de futuro e concretização do «novo céu e da nova terra» no aqui e agora da nossa existência. A Ressurreição é, na expressão do «teólogo da esperança», uma revolução na evolução. Permite-nos vislumbrar o futuro, a Vida plena que Deus nos tem preparada, e impele-nos a construir no quotidiano o projecto do Reino de Deus, de modo que a Humanidade e toda a criação tenham «vida e vida em abundância» (cf. João 10,10).


Bernardino Frutuoso, Director da revista Além-Mar

Ressurreição do Senhor

18 de Abril de 2019

Paz e bem.


Já estamos a viver a Semana Santa que nos aponta para a verdade da nossa fé: “Não há maior prova de amor do que dar a vida pelo amigo”. Jesus deu a sua vida por cada um de nós.


Estamos a viver este tempo tão importante da nossa Redenção. Jesus sofreu, morreu e Ressuscitou para nos salvar.


Hoje, Ele continua ao nosso lado para nos mostrar e levar pelo caminho da vida. Acolhamo-lo nas nossa vidas. Ele é o Senhor.


Votos de uma Santa Páscoa.


Saudações amigas desde o Gana.


P. Francisco Machado

Sudão: Manifestantes querem civis no comando

17 de Abril de 2019

Líderes dos protestos no Sudão que culminaram com a queda do presidente Al-Bashir exigem a dissolução do Conselho Militar de transição e a sua substituição por um Conselho Civil que inclua militares.


A «Associação de Profissionais Sudaneses» (SPA, na sigla original), que lidera os protestos, afirma que esta é uma condição imprescindível para participar de um futuro governo de transição e mantém um grupo de manifestantes em frente ao quartel-general do exército.


O exército tem tentado dispersar os manifestantes, mas estes prometem não se ir embora.


No início da semana, a União Africana ameaçou suspender a participação do Sudão neste organismo se o Exército não ceder o poder a uma “autoridade política civil” dentro de 15 dias.

Vaticano: A verdadeira glória é amor

17 de Abril de 2019

Na audiência geral desta quarta-feira, 17 de abril, o Papa referiu em sua homilia que Jesus nos mostra que a verdadeira glória é amor, uma entrega generosa e incondicional ao outro.


Como preparação para o início do Tríduo Pascal, a homilia foi sobre as palavras que Jesus dirigiu ao Pai durante a sua Paixão.


“Terminada a Última Ceia, Jesus pediu ao Pai que o glorificasse. A glória, na Bíblia, se refere à ação reveladora de Deus. Jesus é Aquele que revela de modo definitivo a presença de Deus através da sua morte na Cruz. Para quem julgasse que a glória era poder e fama, Jesus mostra que a verdadeira glória é amor: uma entrega generosa e incondicional ao outro”, explicou Francisco.


Já no Jardim do Getsémani, tomado de uma profunda angústia, Jesus se dirige ao Pai, com o termo carinhoso Abbá, “ensinando-nos a encontrar consolo e força junto do Pai e não cair na tentação da solidão e do isolamento”, referiu.


Por fim, pregado na Cruz, no momento da dor mais aguda, Jesus exclama, intercedendo por nós: “«Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem»: o sofrimento, vivido com amor, se converte em perdão. Desse modo, somos convidados a viver dando sempre glória a Deus, ou seja, com amor e perdão”, concluiu o Santo Padre.

Jesus está vivo! Habita em cada um e cada uma de nós!

17 de Abril de 2019

Eis o grande dom da Páscoa.


Estávamos longe d’Ele.


Tínhamos cortado todas as relações com Ele.


Mas, no Seu Amor infinito para connosco, abriu o Seu Coração Trespassado sobre a Cruz e imergiu-nos nesse oceano infinito da Sua Misericórdia, para nos lavar de toda a iniquidade e nos purificar dos nossos pecados.


Após esta purificação radical, o nosso querido Jesus pode encontrar em nós uma morada digna d’Ele e veio habitar em cada um e cada uma de nós.


Eis aí uma Páscoa digna de Jesus.


Eis aí uma Páscoa.


Arrancou-nos do mundo das trevas, para nos transferir para Seu Reino, resplandecente de Luz e Paz, de alegria e de amor.


Desde agora, em esperança, já vivemos com Ele nessa mansão eterna. Mas, na realidade, Ele não esperou o dia da nossa morte para nos introduzir na Sua Casa.


Ele mesmo, em pessoa, veios fazer a sua morada em nós e estabelecer o Seu Reino eterno e Universal dentro de nós.


Assim estamos certos que não nos perdemos pelo caminho. Pois, Ele mesmo nos conduzirá até entrar connosco nessa morada eterna, onde viveremos para sempre, ao lado da Santíssima Virgem Maria, com Ele, com o Pai e com o Espírito Santo.


PS: Nesta Páscoa, quero agradecer à Santíssima Trindade e à Mãe do Céu, juntamente convosco, pelos meus 80 anos de vida e pelos 48 anos de padre.


P. Alfredo Neres, mccj

Siga a revista Além-Mar nas redes sociais

16 de Abril de 2019

A revista Além-Mar está no Facebook e no Instagram. Siga-nos agora nestas redes sociais.


Facebook e Instagram

Cristo ressuscitou e vive em nós

16 de Abril de 2019

Mensagem do Superior Geral Comboniano para a Páscoa 2019.


Cristo ressuscitou e vive em nós


“Transmiti-vos, em primeiro lugar, o que eu próprio recebi: Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras... Sejam dadas graças a Deus que nos dá a vitória por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo”.


(1Cor 15. 3-5, 57)


Caríssimos confrades, Boa Páscoa, Cristo ressuscitou, aleluia.


Durante a minha visita à Província do Congo, uma das belas expressões que ouvi nas celebrações litúrgicas é esta: «Bandeko (irmãos), Bobóto (paz), Esengo (alegria), Bolingo (amor), Alleluia!»


Sim, os fiéis que participaram nas liturgias em diferentes partes da Igreja do Congo, que nasceu e cresceu sob o martírio e testemunho de muitos bispos, sacerdotes, religiosos e leigos, incluindo irmãos nossos mortos com outros mártires em 1964, mostravam-me que no seu coração, no seu sorriso e nas suas celebrações há paz, alegria e amor.


Sim, na nossa vida individual e comunitária e em sociedade, os dons de paz, da alegria, do amor, da reconciliação, da justiça, da paciência, da consolação, da esperança, da coragem para lutar e da beleza da vida, são todos sinais de que Jesus Cristo ressuscitou.


Sim, mesmo nas nossas comunidades interculturais e intergeracionais, Jesus Cristo está ressuscitado e Presente se houver o testemunho da vida consagrada a Deus, se houver a fraternidade, a alegria, a confiança mútua, o trabalho e o compromisso juntos para a missão entre os pobres e os sofredores, o caminho feito juntamente com o povo de Deus para construir o Reino de Deus onde reinam a justiça, a paz, a reconciliação e onde se respeita a Natureza.


Sim, Jesus Cristo está ressuscitado e Presente quando prosseguimos na vida, mesmo que as nossas vulnerabilidades, fragilidades e conflitos pesem muito na nossa vida individual e comunitária, nas nossas sociedades e no mundo. Ele, o Senhor ressuscitado, que venceu o pecado e a morte, está presente e é a nossa força.


«Este Coração adorável, divinizado pela união hipostática do Verbo com a humana natureza em Jesus Cristo nosso salvador, livre sempre de toda a culpa e rico em toda a graça, não conheceu um instante desde a sua formação em que não palpitasse com o mais puro e misericordioso amor pelos homens. Desde o sagrado berço de Belém, apressa-se a anunciar pela primeira vez a paz ao mundo: menino no Egipto, solitário em Nazaré, evangelizador na Palestina, partilha a sua sorte com os pobres, convida os pequenos e desafortunados a que se aproximem, conforta e cura os doentes, devolve os mortos à vida, chama ao bom caminho os extraviados e perdoa aos arrependidos; moribundo na cruz, na sua extrema mansidão reza pelos seus crucificadores; glorioso ressuscitado, manda os Apóstolos pregar a salvação ao mundo inteiro» (Escritos 3323).


Muitas felicidades para as celebrações da Santa Páscoa, Cristo ressuscitou e vive em nós.


P. Tesfaye Tadesse G. mccj em nome do Conselho Geral

Encontro de jovens com espiritualidade missionária

16 de Abril de 2019

Vem aí o «Missão Jovem», a 6 e 7 de julho de 2019, o encontro anual dos «Jovens em Missão» (JIM) e outros todos os jovens que desejam passar um fim de semana voltados para a Missão. Objetivo é viver um tempo de amizade, partilha e comunhão com a espiritualidade missionária.


Este ano, o Missão Jovem tem como tema: “Faz o teu Coração Gritar Missão”.


É uma maneira simples de tomarmos consciência da nossa vocação cristã e do compromisso paroquial missionário, encontrando-nos para conviver, rezar e celebrar juntos a nossa fé, vocação e Missão.


O encontro destina-se a todos os jovens que queiram viver um fim de semana diferente. Vivido em regime de acampamento, teremos variadas atividades: desporto, jogos, música, divertimento, oração, partilha de vida, workshops, festival sunset, … e algumas surpresas.


Estamos já a preparar este fim-de-semana. Inscreva-se e partilha com os amigos!


Veja o programa.


Faça sua inscrição.


Foi assim o MJ 2018.


Documento para download: CartazMissaoJovem2019.jpg

Páscoa 2019: Saudações de Chipata

16 de Abril de 2019

O Padre Manuel Pinheiro encontra-se na Zâmbia e enviou uma mensagem ao Provincial de Portugal por ocasião da Páscoa.


“Encontro-me em Chipata onde vim celebrar as festas Pascais (encontro de formação, retiro e celebração da missa Crismal) com todo o clero da diocese. Por isso aproveito imediatamente para agradecer-te a ti e a toda a província portuguesa pela vossa generosidade. Podes imaginar o nosso ecónomo provincial a esfregar as mãos de contente por tanta abundância. Obrigado seja pela oferta seja pelas intenções de missas.


Esta manhã, na celebração da missa Crismal recordar-vos-ei a vós e a todas as pessoas que contribuem para que a nossa missão seja possível. Por aqui as chuvas estão a acabar. Este ano foi um ano duro para a nossa gente, mas há boas perspetivas.


Obrigado também pelas notícias que vais mandando.


Recebe um abração com votos duma Santa Páscoa.


Unidos em oração e na missão.


O amigo de sempre


Neca Pinheiro.”

Jovens, não vos envergonheis de manifestar entusiasmo por Jesus

15 de Abril de 2019

Na homilia do Papa no Domingo de Ramos, 14 de abril, Francisco mandou um recado aos jovens:


“Queridos jovens, não vos envergonheis de manifestar o vosso entusiasmo por Jesus, gritar que Ele vive, que é a vossa vida. Mas, ao mesmo tempo não tenhais medo de O seguir pelo caminho da cruz. E, quando sentirdes que vos pede para renunciardes a vós mesmos, para vos despojardes das próprias seguranças confiando-vos completamente ao Pai que está nos céus, então alegrai-vos e exultai! Encontrais-vos no caminho do Reino de Deus”, disse o Santo Padrre.


O Papa também lançou um convite: “Convido todos vocês (jovens) a tornarem suas e a viverem cotidianamente as indicações da recente Exortação Apostólica Christus vivit, fruto do Sínodo que também envolveu muitos de seus coetâneos. Nesse texto, cada um de vocês pode encontrar inspirações fecundas para a sua vida e seu caminho de crescimento na fé e no serviço aos irmãos.”

Páscoa Jovem

15 de Abril de 2019

«Páscoa Jovem» em São José da Lamarosa, concelho de Coruche e distrito de Santarém, nos dias 16 a 21 de abril.


Programa é aberto a todas as pessoas.


No dia 17, especial Oração Taizé que se realizará em Coruche.


Vem viver as celebrações do Tríduo Pascal com o espírito Jovem e Missionário.


Para participar, contacta o Filipe Oliveira: 916018644

Sul-sudaneses reagem ao gesto do Papa Francisco

15 de Abril de 2019

O gesto do Papa Francisco (de beijar os pés aos líderes políticos sul-sudaneses) foi recebido com sentimentos contraditórios.


Algumas pessoas acham que foi uma luz para o Presidente Salva Kiir e o Vice-presidente Riek Machar para verem o que significa ser servo e por isso é uma esperança que eles decidam fazer mudanças para o país.


Outros dizem por que o Papa beijou os pés dos criminosos e do pior líder que nunca se importou ou sentiu o sofrimento do povo.


Outros ainda disseram que apesar disso eles não vão mudar.


Um muçulmano interrogou-se se valia a pena irem a Roma para um retiro em vez de fazer no país... Que diferença há?


Em suma, há aqueles cuja esperança é renovada e aqueles que permanecem céticos.


De qualquer forma, continuamos a rezar pela paz.


Desejo-lhe feliz Semana Santa e Páscoa.


Bênçãos


P. Louis Okot, Provincial Comboniano do Sudão do Sul

A primavera chegou. Jesus Ressuscitou. O mundo está salvo. É Páscoa!

15 de Abril de 2019

Paz e Bem.


Com esta mensagem, desejo-vos uma Santa e Feliz Páscoa em Ano Missionário em Portugal.


Anuncio-vos também a minha destinação oficial para a Zâmbia a partir de 1 de maio. Conto partir em fins de julho.


A primavera chegou. Jesus Ressuscitou. O mundo está salvo. É Páscoa!


Há vida, alegria, esperança, sentido de vida. Tudo canta os louvores de Deus. Eu uno-me a este despertar da multidão de gente e de toda a criação que proclama com os discípulos: “Ele vive. Ressuscitou!” Assim, canto as maravilhas de Deus na minha vida de discípulo-missionário, porque Cristo ressuscitou, de verdade.


Páscoa é todos os dias


Na liturgia a celebração da Páscoa toma um longo caminho, preparado em 40 dias de Quaresma, semana santa, Páscoa. Isso me diz que toda a vida é caminho para a Páscoa e a Páscoa dá sentido à vida que é caminho de Deus e para Deus, com o Ressuscitado.


Este ano recebi o dom que é a oportunidade de viver a Páscoa em Roma. É única nos meus quase 63 anos de vida. E não é só por estar em Roma, junto ao Papa. Isso também ajuda, mas, mais do que isso, é ter esta oportunidade de a viver, com esta idade, no contexto do Curso de renovamento Comboniano que me ajuda a preparar o meu regresso à missão na Zâmbia. A Páscoa ganha assim para mim, um sabor diferente, uma dimensão real que é sua: ser festa missionária. Sinto algo diferente. Vive em mim, esta Fé viva, que é em caminho, em partilha de pequenos gestos solidários. A vida em missão.


Páscoa é acreditar


Todos os dias deste curso me trazem novidade. Há sempre e em cada dia algo de novo, algo que me faz renascer. É vida nova que só pode vir do Ressuscitado. Nova força, coragem, paz, confiança, alegria. É aquela passagem do “sono” à “alva”; da morte à vida. Recordo tempos passados de sofrimento, angustia, medos e desânimos. Este é tempo novo. Não porque não haja problemas, mas porque tudo ganha novo sentido. Tudo é possível na vida. Ele que me livrou do abismo, cuida de mim e leva-me nas palmas das mãos com o seu amor misericordioso e fiel. Nele confio e sempre confiarei. É a Páscoa da vida na Fé.


Páscoa é partir


Quem vive na Fé e experimenta a vida do Ressuscitado, só pode partilhá-la. Tem que ir anunciar, como os Evangelhos da Ressurreição nos mostram. A Páscoa deste ano, diz-me particularmente a mim, missionário comboniano, que sou enviado a partir uma vez mais. Até me sinto mais jovem. Não importa a idade ou as circunstâncias. A minha Páscoa é partir, como exemplo para a Páscoa de todos. Tenho que o dizer a todos e todas, amigos e amigas, Páscoa é sair de nós mesmos confiando naquele que nos envia. Anunciar perto e longe a alegria do dom que recebemos e procuramos viver; proclamar que Cristo ressuscitou e oferecer vida nova a tudo e todos. Ele é fonte de paz e justiça, num mundo novo.


Olho para o futuro. Dentro de três meses partirei para a Zâmbia, país que me concedeu viver alguns dos anos mais belos da minha vida. Quando em 1989 parti, pela primeira vez, tinha 33 anos. Re-parto agora com 63 em idade, mais desgastado, outra maturidade, nova atitude. Tudo, ou quase tudo diferente. As expectativas são, no entanto, as mesmas e muito positivas, cheias de esperança. Ainda não sei o que me espera, o que vou fazer. Tenho procurado tomar consciência disso e preparar-me o melhor possível. Missão é pôr a vida nas mãos de Deus, deixar tudo e partir ao encontro da novidade do diferente. Só uma certeza se pode carregar: É Ele que envia e Ele é sempre fiel. Promete e compromete-se. Páscoa é vida para tudo e todos. Se acreditamos, há que anunciá-la fazendo a vida melhor para todos e todas neste mundo em que vivemos. Isso fazemo-lo partilhando a vida que Jesus nos dá. Com pequenos gestos de amor, de Paz e Esperança como ainda há bem pouco tempo o Papa Francisco nos deu o exemplo, beijando os pés aos líderes guerrilheiros do Sudão Sul. Na esperança da mudança; na certeza do esforço de reconciliação que é Páscoa.


Todos somos Páscoa. Todos somos missão. Eu parto em nome de Jesus, da Igreja, dos Missionários Combonianos, da minha família, da paróquia da minha terra de Sabugal. Vou em nome de todos os amigos e amigas. Somos missionários em comunidade, uns com os outros. Vou em comunhão com todos os que me acompanham na oração, apoio e ajuda. Sinto-me muito bem acompanhado.


Neste Ano Missionário em Portugal, o meu coração enche-se de alegria maior, ao sentir que posso ser sinal de que a missão é para todos, aqui e agora. A minha pequenina parte é expressão e desafio da missão comum a todos os batizados. Viver “em saída”, partir e levar Jesus. É missão, e este é o meu poema!


Páscoa é Missão


É Páscoa.


Páscoa é Jesus Ressuscitado,


Que nos oferece Vida Nova


E nos envia a anunciar a Boa Nova!


Páscoa em mim, é alegria, amor, esperança.


Páscoa comigo, é partilha, solidariedade, fraternidade.


Páscoa de mim para ti, é acolhimento, perdão, renascimento.


Que é a Páscoa para ti?


Páscoa é toda a criação renovada, é toda a humanidade em Paz,


É todos e tudo em comunhão fraterna.


Páscoa é esta missão que eu quero assumir:


Ser enviado por Jesus e por todos, em Ano Missionário,


A anunciar a Palavra de vida, esperança e Paz.


“Todos, tudo e sempre em missão”!


Feliz Páscoa 2019!


P. Carlos Alberto Nunes, Missionário Comboniano

Mensagem do Papa aos líderes do Sudão do Sul: Procure o que une. Supere o que divide.

12 de Abril de 2019

“Procure o que une. Supere o que divide”, mensagem foi escrita em Bíblias assinadas pelo Papa Francisco e entregues aos líderes do Sudão do Sul no final do retiro espiritual realizado no Vaticano.


No seu discurso, o Papa recordou todos aqueles que perderam seus entes queridos e seus lares, as famílias que foram separadas e nunca reunidas, todas as crianças e idosos, e as mulheres e homens que sofreram terrivelmente por conta dos conflitos e da violência – “conflitos que geraram tanta morte, fome, mágoa e lágrimas”.


“Muitas vezes penso nessas almas sofredoras e rezo para que os fogos da guerra finalmente desapareçam, para que possam voltar para suas casas e viver em serenidade”, referiu.


Frente a frente com os líderes sul-sudaneses, Francisco voltou a afirmar que a paz é possível: “Queridos irmãos e irmãs, a paz é possível. Eu nunca me cansarei de repetir isto: a paz é possível!”


“No entanto”, acrescentou o Santo Padre, “este grande dom de Deus é, ao mesmo tempo, um dever supremo da parte daqueles que têm responsabilidade pelo povo”.


“Nós, cristãos, acreditamos e sabemos que a paz é possível, porque Cristo ressuscitou. Ele superou o mal com o bem. Ele assegurou aos seus discípulos a vitória da paz sobre tudo o que alimenta as chamas da guerra: orgulho, ganância, o desejo de poder, interesse próprio, mentiras e hipocrisia”, indicou.


Francisco pediu então que “todos nós assumamos nosso elevado chamado para ser pacificadores”, e disse ter esperança no acordo de paz que foi assinado e felicitou os líderes “presentes e ausentes” por terem “escolhido o caminho do diálogo”.


“Exprimo a minha sincera esperança de que as hostilidades finalmente cessem, que o armistício seja respeitado - por favor, que o armistício seja respeitado - que as divisões políticas e étnicas sejam superadas e que haja uma paz duradoura para o bem comum de todos cidadãos que sonham em começar a construir a nação”, concluiu.


De seguida, o Papa Francisco ajoelhou e beijou os pés do Presidente Salva Kiir, e dos vice-Presidentes Riek Machar, Taban Deng Gai e Rebecca Nyandeng De Mabior.


 

Orar pelos médicos e seus colaboradores em zonas de guerra

05 de Abril de 2019

“Rezemos pelos médicos e pelas equipes humanitárias presentes em zonas de guerra, que arriscam a própria vida para salvar a vida dos outros”, é esta a intenção de oração do Papa para o mês de abril.


A presença dos médicos, dos enfermeiros e demais profissionais de saúde nas zonas devastadas pelos conflitos é um sinal de esperança.


São pessoas sábias, corajosas, boas que, seguindo sua vocação, trabalham em condições extremamente perigosas.


Rezemos pelos médicos e pelas equipes humanitárias presentes em zonas de guerra, que arriscam a própria vida para salvar a vida dos outros.


Papa Francisco - Abril de 2019


Nas situações mais difíceis e dramáticas, como em uma guerra, também podemos encontrar exemplos de bondade e generosidade. Os médicos e os colaboradores humanitários que trabalham nos conflitos armados são um bom exemplo. Lá onde alguns lutam para matar, eles lutam pela vida.


 

Campanha de solidariedade com Moçambique

20 de Março de 2019

Em Moçambique, particularmente na Beira, a passagem do ciclone Idai deixou destruição, morte e sofrimento. Estima-se que 1,7 milhões foram afectados pelo ciclone e pelas cheias. Mais de 500 mil pessoas precisam de ajuda imediata, nomeadamente de alimentos e medicamentos. Casas, hospitais, escolas e igrejas foram devastadas pela tempestade, o que agrava a situação e impossibilita a assistência às vítimas. Os Missionários Combonianos unem-se aos portugueses e organizam uma campanha de solidariedade com este povo irmão.


Os donativos podem ser feitos através da conta bancária IBAN: PT50 0007 0059 0000 0030 0070 9


Por favor, enviar mensagem para a Editorial Além-Mar: editalemmar@netcabo.pt ou telefonar para 213 955 286 a comunicar a oferta.

Galeria


Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário