PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Mais de 1.100 crianças mortas na Síria em 2018

12 de Março de 2019

Somente em 2018, 1.106 crianças foram mortas nos combates na Síria. É o maior número de crianças mortas em um único ano desde o início da guerra e esses são apenas os números que as «Nações Unidas» (ONU) foram capazes de verificar, o que significa que os números reais podem ser muito maiores.


A contaminação por minas é agora a principal causa de mortes de crianças em todo o país, com munições não detonadas a representar 434 mortes e ferimentos no ano passado.


Em 2018 também foram identificados 262 ataques contra instalações de educação e saúde.


“Existe hoje um equívoco alarmante de que o conflito na Síria está a chegar ao fim. Isto não é verdade. Crianças continuam em perigo tanto quanto em qualquer outro momento durante os oito anos de conflito”, afirma a diretora executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Henrietta Fore.


“Estou particularmente preocupada com a situação em Idlib, no noroeste da Síria, onde uma intensificação da violência matou 59 crianças apenas nas últimas semanas”, alerta.


Fore alerta também para a situação “desesperadora” das famílias em Rukban, perto da fronteira com a Jordânia, “com acesso limitado a comida, água, abrigo, cuidados de saúde e educação”.


“Estou alarmada com a piora das condições no campo de Al Hol, no nordeste do país, que hoje abriga mais de 65 mil pessoas, incluindo cerca de 240 crianças desacompanhadas ou separadas”, confessa a responsável da ONU.

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário