PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Notícias da RD Congo

11 de Março de 2019

Na cidade de Butembo, de 1,2 milhões de habitantes, vê-se serenidade. É uma beleza ir ao imenso Mercado Central. Mas há medo e tensão.


O vírus ébola dividiu a sociedade e a Igreja. Uns, segundo a interpretação tradicional da origem das doenças, afirmam que o ébola é efeito de magias feitas por inimigos e que a medicina ocidental não serve para tratar os doentes.


Outros, politizaram a questão e opõem-se às orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde. Dizem que os técnicos vindos para aqui só vêm ganhar dinheiro e tratam as populações locais com desprezo.


Resultado das duas teorias: opor-se radicalmente e mesmo com violência contra as acções de rastreio e destruir os Centros de Tratamento do Ébola (CTE). Outros dizem que a destruição dos CTE é obra dos ruandeses que, pela via do Ébola, querem continuar o genocídio destas populações Nande, em execução desde Outubro de 2014 e que já causou bem mais de 2.000 mortos, com métodos de crueldade muito ruandesa, desconhecida na tradição congolesa.


Outros, católicos e evangélicos, com uma religião cheia não de fé, mas de fideísmo, recusam os tratamentos porque, dizem, fazer oração de cura pelos doentes é quanto basta. O Bispo católico D. Melquisedec está sob fogo por parte de muitos do Renovamento Carismático e de padres e religiosas, porque enviou uma Nota Pastoral advertindo que a oração de cura exige também as consultas de rastreio, hospitalização, tratamento e todos os cuidados profiláticos recomendados. Corre-se o risco de um cisma, na Igreja.


Na base desta situação não está só uma questão de erro teológico (o fideísmo), mas levanta-se o ídolo dinheiro: nas sessões de Oração de Cura, cada graça ou «milagre» tem que ser bem pago. É o que fazem as seitas evangélicas e esses católicos copiam, pondo-se diretamente contra o Bispo. No outro dia, uma multidão quase o linchava...


Estive com o Bispo, que está muito preocupado com a divisão na Igreja. E repete, fazendo o gesto universal que indica dinheiro: “É tudo movido pela sede do dinheiro”...


Orai por esta Igreja local de Butembo-Beni.


P. Claudino Gomes (Missionário Comboniano)

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário