PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Não ter medo de assumir responsabilidades

13 de Março de 2019

O padre Ricardo Gomes participou na Jornada Mundial da Juventude 2019, no Panamá. Agora, com o JIM, vai contribuir para a preparação da Jornada de 2022, em Lisboa.


Viajei com um grupo considerável de jovens portugueses até ao Panamá para participar na Jornada Mundial da Juventude. A comunidade paroquial de Nossa Senhora de Lourdes acolheu-nos e alojou-nos com entusiasmo e, logo na tarde do dia da nossa chegada, a 20 de janeiro, pudemos celebrar ali a Eucaristia.


Povo emotivo


Um dos momentos que mais nos comoveu foi, no dia 21, quando as pessoas acolheram a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima com lágrimas e muita emoção. Diziam que a presença da Virgem era um momento de renovação na fé e que pediam a Sua intercessão para que haja paz e igualdade no país.


As nossas jornadas


Nessa semana da jornada, nos dias que antecederam os momentos com o Papa Francisco, tivemos três catequeses, que concluíam com a Eucaristia, uma com um bispo do Brasil e as outras duas com bispos portugueses. Nós participámos atenta e ativamente, a escutar e a fazer perguntas. O tema das catequeses estava relacionado com o tema das jornadas: «Eis aqui a serva do Senhor.»


Nos dias com o Papa Francisco, fomos uma grande multidão de mais de 200 mil jovens.


Na sexta-feira, vivemos a via-sacra com muita compenetração, meditando as estações. O caminho do Calvário de Jesus prolonga-se hoje nas situações dolorosas do mundo e «de Maria, queremos aprender a estar de pé junto da cruz, não com um coração blindado e fechado, mas com um coração que saiba acompanhar, que conheça a ternura e o devotamento; que entenda de compaixão para tratar com respeito, delicadeza e compreensão», disse Francisco.


Os dois momentos mais significativos da jornada foram a vigília, no sábado, e a Eucaristia de envio, no domingo. Fiquei arrepiado com o silêncio durante a adoração ao Santíssimo. Correspondemos ao convite de colocar-nos na presença do Senhor e pormos nas Suas mãos os sonhos e os desafios que a vida nos vai colocando.


No final, "trouxemos" a jornada para Portugal. Se no Panamá, demos uma demonstração de fé e aceitámos o desafio do Papa Francisco para não termos medo de assumir responsabilidades, esse será o nosso compromisso para com a Igreja em Portugal, na preparação da Jornada Mundial da Juventude 2022, em Lisboa.


Padre Ricardo Gomes (MCCJ)

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário