PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Número de católicos cresce no mundo, com impulso de África

15 de Junho de 2018

Dados do Anuário Estatístico da Igreja


Da Agência Ecclesia


A nova edição do Anuário Estatístico da Igreja, da Santa Sé, revela um aumento de 1,1% no número de católicos no mundo, com maior impulso do continente africano, e uma quebra no total das religiosas e seminaristas.


As informações do Anuário Pontifício e do ‘Annuarium Statisticum Ecclesiae’, redigidos pelo Departamento Central de Estatísticas da Igreja, os católicos eram 1,299 milhões no final de 2016 (1,285 milhões em 2015), representando 17,67% da população mundial (17,73% em 2015).


A África, onde vivem 17,6% dos católicos de todo o mundo, é o continente com maior crescimento de batizados entre 2010 a 2016, passando de 185 milhões para os 228 milhões, um aumento de mais de 23%; a Europa regista um ligeiro aumento (0,2%) e acolhe hoje quase 22% da população católica mundial.


A América recebe quase metade dos católicos nos cinco continentes (48,6%), com destaque para a América do Sul e, em termos de nações, para o Brasil.


A Ásia, onde historicamente os católicos são uma minoria, com exceção das Filipinas, os católicos são 11% da população; no caso da Oceânia, há pouco mais de 10 milhões de católicos, registando um aumento de 10,4% entre 2010 e 2016.


Os 15 países “mais católicos” somam mais de 64% dos batizados a nível mundial, isto é, 830 milhões de pessoas: República Democrática do Congo, Nigéria, Uganda e Angola; Brasil, México, Estados Unidos da América e Colômbia; Filipinas e Índia; Itália, França, Espanha, Polónia e Alemanha.


O número de sacerdotes no mundo católico era de 414 969 no ano de 2016, um aumento de 0,7% face a 2010 (412 236 padres).


Os dados do Vaticano registam quebras no número de religiosas (menos 8,7%) e de seminaristas (1,8%) entre 2010 e 2016.

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário