PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Dia Mundial do Ambiente: Acabar com a poluição plástica

05 de Junho de 2018

Celebra-se nesta terça-feira, 5 de junho, o Dia Mundial do Ambiente dedicado ao tema «Acabar com a Poluição Plástica” (Beat Plastic Pollution).


A poluição plástica tem se destacado principalmente nos oceanos. De acordo com dados do escritório das Nações Unidas para o Ambiente, todos os anos, oito milhões de toneladas de plástico são deitados nos mares. Se nada for feito, até 2050 os oceanos terão mais plástico que peixes.


Há poucos dias, uma baleia foi encontrada morta na Tailândia e uma autópsia revelou que o animal tinha 80 sacos plásticos no estômago. A baleia sofreu uma obstrução intestinal, não conseguia mais se alimentar e morreu.


Por ano, a Europa produz cerca de 58 milhões de toneladas de plástico todos os anos e Portugal contribuiu com quase 370 toneladas (dados da Eurostat), uma média de 31kg por pessoa, valor acima da média europeia.


O uso dos plásticos distribui-se da seguinte forma:


- 40% embalagens


- 22,5% bens de uso doméstico e de consumo


- 20% edifícios e construção


- 9% automóveis e camiões


- 6% equipamento elétrico e eletrónico


- 3% agricultura


Por ocasião desta data, a Agência Portuguesa do Ambiente apresenta o Relatório do Estado do Ambiente 2018, documento que avalia e comunica o desempenho


ambiental do país.


De acordo com o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, desde que o relatório passou a ser divulgado, foi registada uma “evolução significativa nos indicadores do estado do ambiente”, pelo que Portugal “pode orgulhar-se do percurso feito nos últimos 30 anos”.


O ministro destaca a evolução registada na qualidade da água balnear, na qualidade da água da torneira, nos níveis de cobertura no saneamento e nos resíduos, e na redução de emissões de gases com efeito de estufa. João Pedro Matos Fernandes recorda ainda o “amadurecimento das políticas públicas de ambiente, que já não é apenas uma política reativa, de salvaguarda de espaços e de construção de infraestruturas, que tinha como objeto único combater a poluição”. E afirma que “a segunda geração de políticas do ambiente reconhece o seu papel enquanto contributo para a competitividade e elemento central na criação de emprego, riqueza e bem-estar.


Em mensagem dedicada ao Dia Mundial do Ambiente, o Secretário das Nações Unidas, António Guterres disse o seguinte: "Rejeite o plástico descartável. Recuse o que não pode reutilizar. Juntos, podemos traçar o caminho para um mundo mais limpo e mais verde."


 

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário