PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

D. Manuel Clemente apela à participação na Caminhada pela Vida

31 de Outubro de 2017

A iniciativa está marcada para 4 de novembro em Lisboa, Porto e Aveiro. Em declarações à Rádio Renascença (RR), D. Manuel Clemente diz que os cristãos têm obrigação de participar, porque só podem estar ao lado da defesa da vida. E este, sublinha, é o momento oportuno para o mostrarem.


O Cardeal Patriarca de Lisboa, e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, considera muito importante os cristãos participarem na próxima Caminhada pela Vida, marcada para sábado.


D. Manuel diz mesmo que “não poderá ser de outra forma” porque, “sendo cristãos, só podem estar deste lado, que é o lado onde está Jesus Cristo. Em qualquer página do Evangelho nós reparamos que onde Ele chega, chega a vida. Mesmo quando havia morte, e sobretudo para prevenir situações negativas, que não deixam as pessoas viver”. “O lugar dos cristãos é o lugar de Cristo, é o lugar da vida, na sua integralidade”.


“Nós acreditamos que Deus se fez um de nós no caminho de Jesus Cristo e da sua vida humana, também desde a concepção à morte, que no caso dele não foi natural, foi infligida, mas ressuscitada, e está connosco para nos impelir no sentido da vida. Por isso, para qualquer cristão, isto é obrigação e devoção”, acrescenta o Patriarca de Lisboa.


Lembrando que esta “não é uma Caminhada confessional”, o Cardeal Patriarca felicita os promotores da iniciativa, que considera muito oportuna, porque o actual momento exige cristãos comprometidos. “Para nós é urgente, na situação actual, e com os debates que se vão fazendo, nem sempre com a informação devida e com a consciência acrescida que merecem. Por isso, tudo o que vá nesse sentido é bom”, afirma ainda nestas declarações à Renascença.

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário