PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Pedidos de Oração

Voltar ao arquivo de Pedidos de Oração

OUTUBRO MISSIONÁRIO 2010

3.ª Semana (18 a 24 de Outubro)

A partilha

 

   

Cântico inicial:

  

         Eis-me aqui, eu irei, Senhor.

 

         Envia-me a mim que disponível estou

 

         E anunciarei teu nome às nações

 

   

A – A escuta

  

         Partir implica

 

                   - estar disponível

 

                   - ir ao encontro dos outros

 

                  - escutá-los

 

         Escutemos a voz dos que sofrem

 

      a voz dos que não têm voz:

                               Flagelados do Vento-Leste

                  

 

Nós somos os flagelados do Vento-Leste!

 

A nosso favor

 

não houve campanhas de solidariedade

 

não se abriram os lares para nos abrigar

 

e não houve braços estendidos fraternamente para nós

 

Somos os flagelados do Vento-Leste!

 

O mar transmitiu-nos a sua perseverança

 

Aprendemos com o vento o bailar na desgraça

 

As cabras ensinaram-nos a comer pedras para não perecermos

 

Somos os flagelados do Vento-Leste!

 

Morremos e ressuscitamos todos os anos

 

para desespero dos que nos impedem a caminhada

 

Teimosamente continuamos de pé

 

num desafio aos deuses e aos homens

 

E as estiagens já não nos metem medo

 

porque descobrimos a origem das coisas

 

(quando pudermos!...)

 

Somos os flagelados do Vento-Leste!

 

Os homens esqueceram-se de nos chamar irmãos

 

E as vozes solidárias que temos sempre escutado

 

São apenas

 

as vozes do mar que nos salgou o sangue

 

as vozes do vento que nos entranhou o ritmo do equilíbrio

 

e as vozes das nossas montanhas

 

estranha e silenciosamente musicais.

 

Nós somos os flagelados do Vento-Leste!

 

                                                         (Ovídio Martins)   

B – O exemplo que vem do nosso Deus

  

         A Misericórdia do Senhor enche a terra.

 

         Ele está próximo dos que sofrem.

   

         Salmo 68 (cantável)

 

                   5 Louvai a Deus, cantai salmos ao seu nome

 

                   Abri caminho àquele que cavalga sobre as nuvens;

 

                   O seu nome é Senhor! Exultai na sua presença!

 

                   6 Ele é o pai dos órfãos e defensor das viúvas,

 

                   O Deus que habita no seu santo templo.

 

                   7 Deus prepara uma casa para os desamparados

 

                   E liberta aqueles que estão prisioneiros.

 

                   10 Fizeste cair, ó Deus, a chuva com abundância;

 

                   Restauraste as forças à tua herança extenuada.

 

                   11 O teu povo ficou restabelecido

 

                   E tu, ó Deus, reconfortaste o pobre com a tua bondade.

 

  

C – O conselho do profeta

  

         “Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus a nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas (He 1,2)”

 

         Ouçamos a voz de Isaías (58, 1.2.5-7.10.11)

          

                   1 Grita em voz alta, sem te cansares.

 

                   Levanta a tua voz como uma trombeta.

 

                   Denuncia ao meu povo as suas faltas…

 

                   2 … Pedem-me sentenças justas,

 

                   Querem aproximar-se de Deus.

 

                   5 … Curvar a cabeça como um junco, deitar-se sobre saco e cinza?

 

                   Podeis chamar a isto jejum e dia agradável ao Senhor?

 

                   6 O jejum que me agrada é este:

 

                   Libertar os que foram presos injustamente,

 

                   Livrá-los do jugo que levam às costas…

 

                   7 Repartir o teu pão com os esfomeados,

 

                   Dar abrigo aos infelizes sem casa

 

                   Atender e vestir os nus e não desprezar o teu irmão.

 

                   10 Se repartires o teu pão com o faminto

 

                   E matares a fome ao pobre,

 

                   A tua luz brilhará na escuridão

 

                   E as tuas trevas tornar-se-ão como o meio-dia.

 

                   11 … Serás como um jardim bem regado

 

                   Como uma fonte de águas inesgotáveis.

 

    

D – Captando o sopro do Espírito

  

         “O vento sopra onde quer e tu ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem nem para onde vai” (Jo 3, 8).

 

         Ouçamos agora a voz de um poeta do século XX:

 

  

                                     O dom

 

                   Dais muito pouco quando dais daquilo que vos pertence.

 

                   Quando vos dais a vós mesmos, é que dais realmente.

 

                   Que é aquilo que vos pertence,

 

                   Senão coisas que conservais ciosamente,

 

Com medo de vir a precisar delas amanhã?

 

Quando o vosso poço está cheio,

 

Não é o medo à sede que torna a vossa sede insaciável?

 

Alguns dão pouco do muito que têm

 

E fazem isso em troca do reconhecimento

 

E o seu desejo oculto corrompe os seus dons.

 

Outros têm pouco e dão tudo.

 

Estes são os que acreditam na vida, na bondade da vida,

 

E o seu cofre nunca está vazio.

 

Há quem dê com alegria, e esta alegria é a sua recompensa.

 

Há quem cheio de dores e essas dores são o seu baptismo.

 

É bom dar quando nos pedem;

 

E é bom dar sem que nos peçam, como bons entendedores.

 

E, para o homem generoso,

 

Procurar aquele que vai receber é maior alegria do que dar.

 

Portanto, dai agora,

 

Para que o tempo de dar seja vosso e não dos vossos herdeiros.

 

Muitas vezes dizeis:

 

 - Gostava de dar mas só aos que merecem.

 

As árvores dos vossos pomares não falam assim,

 

Nem os rebanhos das vossas devesas.

 

Dão para poderem viver, porque guardar é perecer.

 

Procurai antes merecerdes ser doadores e instrumentos de doação.

 

Porque, em verdade, é a vida que dá à vida,

 

E quando julgais ser doadores, sois apenas testemunhas.

 

                                                (Khalil Gibran) 

                  

 

 

E – A voz do Senhor

  

“Ide pelo mundo inteiro, proclamai a Boa Nova” (Mc 16,15)

 

         O mandato da missão é para todos. Mas, para alguns, há um apelo mais radical.

  

         Recordemos o diálogo de Jesus com um jovem que lhe veio ao encontro (Mat 19, 16-21.27.29

  

Um jovem aproximou-se de Jesus e lhe perguntou:

 

- Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?

 

Disse-lhe Jesus:

 

- Por que me perguntas a respeito do que se deve fazer de bom? Só Deus é bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos.

 

- Quais?, perguntou ele.

 

Jesus respondeu:

 

- Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, amarás teu próximo como a ti mesmo.

 

Disse-lhe o jovem:

 

- Tenho observado tudo isto desde a minha infância. Que me falta ainda?

 

Respondeu Jesus:

 

- Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!

 

Ouvindo estas palavras, o jovem foi embora muito triste, porque possuía muitos bens. (…)

 

Pedro então, tomando a palavra, disse-lhe:

 

- Eis que deixamos tudo para te seguir. Que haverá então para nós?

 

Respondeu Jesus:

 

- (…) Todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos, terras ou casa receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna.

 

   

F – A nossa oração

  

         Ergamos a nossa voz a Deus nosso Pai que, em Jesus Cristo, nos chamou a tomar parte na sua família e a ser suas testemunhas no meio dos homens e peçamos-lhe com confiança: Ouve, Senhor, a voz do teu povo.

 

  

         - Pela Igreja que teu Filho fundou e pelos seus pastores, para que sejam testemunhas do teu carinho e agentes da tua justiça em favor dos desamparados.

 

  

         - Por todos os teus filhos que sofrem, para que encontrem quem lhes leve uma palavra de apoio e se implique na defesa dos seus direitos.

 

  

         - Por todos nós que fomos chamados a anunciar a Boa Nova, para que o façamos com coragem e na alegria.

 

  

         - Por aqueles que são chamados a uma entrega mais radical, para que encontrem em Ti a resposta a todos os seus anseios.

 

  

         Unindo a nossa voz aos cristãos de todo o mundo, ousamos dizer: Pai Nosso…

 

   

Cântico final

  

Ide, amigos, pelo mundo anunciando o amor,

Mensageiros da vida, do perdão e da paz.

Sede, amigos, testemunhas da minha ressurreição,

Sede minha presença: Eu convosco estarei.