PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Pastoral Vocacional Juvenil

Voltar ao arquivo de Pastoral Vocacional Juvenil

Há estrelas no Céu

Jovens e Missão Junho de 2009

 

 

O essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração.

 

 

 

 

"Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no senhor. Procedei como filhos da luz» (Ef 5,8).

 

Olhar no céu

 

Nunca encontrei céu tão estrelado como o céu do Chade, em África, onde passei 10 anos. Deitar-me directamente sobre a terra, envolvido pelas densas trevas da noite e olhar fixamente o céu estrelado, foi dos espectáculos mais fortes que me foi dado presenciar. Era como se os mistérios do Universo se desvendassem diante dos meus olhos; como se nada mais existisse além daqueles pontos luminosos, tão distantes e ao mesmo tempo tão próximos, que parecia poder tocá-los num simples gesto de levantar os braços ao alto.

Esta diferença em relação ao «nosso céu» deve-se, certamente, à ausência de nuvens no ar e de luz artificial na Terra. Lá, no interior da savana, em lugares perdidos de tudo e de todos, sem electricidade, as noites são «puras». Aí a luz das estrelas e o reflexo do Sol na Lua iluminam mais, muito mais. «Das trevas resplandece a luz» (2Cor 4, 6).

Penso ainda que importante também será o facto de nas nossas cidades europeias termos perdido o costume de levantar a cabeça, habituados como estamos a ver só automóveis e montras e essas estrelas falsas que são os tubos de néon.

 

Encher-se de luz

 

Chegados quase ao fim de mais um ano na pastoral vocacional juvenil, centrado em S. Paulo, creio que uma conclusão do caminho feito poderia ser inspirada pela frase da carta aos Efésios: «Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor» (5,8). Esta luz, com a sua fonte em Cristo, iluminou-nos e acompanhou-nos ao longo do ano, encheu o nosso coração e agora resplandece em nós e através de nós, para procedermos «como filhos da luz».

Ora, se a luz resplandece mais forte lá nos lugares onde a noite é mais escura e onde «se levanta a cabeça» ao céu, também a nossa luz, a luz de Cristo, será mais clara e forte nas situações de trevas que habitam o nosso mundo.

As nossas cidades estão repletas de luminosidade e as nossas comunidades plenas de pontos luminosos (deveria ser assim). Mas há situações sociais, económicas, culturais e religiosas sem luz, sem claridade suficiente, sem a presença do «astro resplandecente», sem o «sol de justiça». É aí que é mais urgente proceder «como filhos da luz» para que brilhe a nossa luz diante dos homens (Mt 5, 16).

 

Iluminar o mundo

 

Tenho receio que estejamos tão acostumados a ver terra e a comer terra que já tenhamos perdido a possibilidade de sonhar, de levantar os «olhos ao alto». Tão habituados que estamos a nos preocupar onde pomos os pés, onde caminhamos, que esquecemos e atrofiamos a nossa impetuosidade, vocação natural para o infinito.

«Não vemos com os olhos, mas através dos olhos», dizia o filósofo Ortega e Gasset. Saint-Exupéry, no Principezinho, retorquia «que o essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração». Jesus, no Evangelho, acrescenta que «onde estiver o teu tesouro aí estará também o teu coração» (Mt 6, 21) e que «a boca fala da abundância do coração» (Lc 6, 45).

Vivemos tão dentro do mundo, que corremos o risco de nos deixarmos fechar nele, a realidade, ou melhor, o que nos parece ser a realidade que entra pelos nossos olhos, impõe-se como um fardo, um peso difícil de transportar.

Então, onde alguns só vêem prenúncios de chuva, é necessário que outros, luz de Cristo, vejam um céu cravado de estrelas. Onde a maioria só pisa o chão, é urgente que haja jovens cristãos que toquem o céu com as suas mãos, que naveguem no infinito como os seus sonhos, viajem ao encontro dos outros com a sua luz.

É importante deixar a estreiteza do mundo e dos seus valores para abraçar projectos duradouros.

É urgente sonhar, e acreditar nos sonhos, porque no céu há estrelas, basta levantar a cabeça para as descobrir.

É actual o convite de S. Paulo: «Desperta, tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará» (Ef 8, 14).

Por: LEONEL CLARO

 

 

 

Podes participar

 

Sempábrir: 21 a 25 Julho - Caminhada jovem a Fátima (a partir de Coimbra e de Azambuja).

Arganil: 31 Julho a 9 Setembro - SEM: Semana de Experiência Missionária

 

 

 

 

Para Ler, Meditar e Rezar:

 

- Lê Ef 5, 8-14 - «Agora sois luz.»

- Que significa para ti, ser luz?

- Mt 5, 14-16 - «Brilhe a vossa luz diante dos homens.»

- Que responsabilidades temos nós, jovens cristãos, na sociedade?

 

 

 

Onde nos podes encontrar

P. Leonel Claro

Missionários Combonianos

Rua Augusto Simões, 108

4470-147 MAIA

Tel.: 229 448 317

jovemissio@gmail.com

jovensemissao.blogspot.com