PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Actualidades

Voltar ao arquivo de Actualidades

Memorar

07 de Junho de 2017

Nós somos povo pascal! Filhos da ressurreição, somos convocados a fazer memória da Páscoa do Senhor, das passagens da Trindade Santa nas nossas vidas, na nossa história transformando-as em vidas e história de salvação.


«Fazei isto em memória de mim», confiou Jesus aos discípulos da primeira Eucaristia, aos discípulos de todas as Eucaristias. Somos povo da memória.


Fazer memória é, primeiro, escancarar a mente e o coração ao Espírito Santo num Pentecostes quotidiano. Sem o Paráclito não há memória! Jesus disse aos discípulos: «O Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, esse é que vos ensinará tudo, e há de recordar-vos tudo» (João 14, 26).


O P.e David Glenday comenta assim esta passagem inspiradora: «Para os discípulos, para nós, recordar é em primeiro lugar não um esforço ou projeto de nós próprios, mas um dom, uma graça, um trabalho do Espírito.»


Memoramos as maravilhas que o Senhor operou pelos Missionários Combonianos, para os Missionários Combonianos, através dos Missionários Combonianos em sete décadas de presença em Viseu e em Portugal.


O Senhor abençoou-nos «porque o seu amor é eterno» (Salmo 136).


Abençoou-nos através do carinho acolhedor da diocese de Viseu, da cidade, da região, do país.


Abençoou-nos através de todas as pessoas que com o seu afeto e amizade tornaram possível esta história singular de 70 anos em Portugal.


Abençoou-nos através das missionárias e missionários que nos precederam nesta peregrinação com o Senhor da Missão. Vivemos porque elas e eles amaram: «Felizes os que morreram no amor; pois, nós também viveremos certamente», recorda a Escritura (Ben Sira 48,11).


Abençoou-nos inspirando há 150 anos o P.e Daniel Comboni a fundar o Instituto Missionário para a Nigrícia.


O fundador escreveu a um amigo: «Lembre-se de mim, que me é grato viver na sua memória» (Escritos 714).


É-nos grato aos combonianos de ontem e de hoje viver na memória acolhedora da Igreja e da sociedade civil de Viseu, de Portugal. E, confiantes na misericórdia do Senhor, pedir humildemente perdão pelos nossos pecados.


Memorar é viver na memória uns dos outros!


Que o Senhor nos abençoe a todos!


José Vieira - Jirenna

Comentários

Mostrar comentários | Escrever um comentário