PJuvenil Multimédia Palavra de Deus Oração em Missão Antigos Alunos

» Favoritos

» Recomendar

» Imprimir

» Fale Connosco

Revista Além-mar Revista Audácia Jornal Família Comboniana Exposição Missionária Virtual Facebook RSS
Indique o seu e-mail:
Utilizador:
Password:
 

Palavra de Deus

Voltar ao arquivo de Palavra de Deus

Missão é servir e contagiar de esperança todos os povos

XXIX Domingo do Tempo Comum: Ano B – 18.10.2015


 


Isaías 53, 10-11


Salmo 32


Hebreus 4, 14-16


Marcos 10, 35-45


 


Reflexões


No Dia Mundial das Missões vem-nos muito a propósito o exemplo de Jesus (Evangelho), que «não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida pela redenção de todos» (v. 45). Ele é o maior, e todavia fez-se nosso servo; é o primeiro, e fez-se escravo de todos (v 44). Jesus que lava os pés dos discípulos, a agonia no horto, a Crucifixão… são dados suficientes para nos convencerem desta palavra do Evangelho de hoje. Jesus bebeu até ao fim – e com amor! – o cálice da paixão, e recebeu o batismo da morte e da ressurreição (v. 38). Desse modo, Ele, verdadeiro Servo do Senhor, deu cumprimento à profecia de Isaías (I leitura): ofereceu-se a si mesmo em expiação, carregando as nossas iniquidades, com a certeza de uma descendência numerosa (v. 10-11). Visto que Ele, sumo-sacerdote (II leitura), sabe compadecer-se das nossas fraquezas, todos os povos são convidados a aproximarem-se dele com plena confiança, «para alcançar misericórdia e obter a graça de um auxílio oportuno» (v. 16).


«Beber o cálice – receber o batismo» são expressões que para Jesus indicam um itinerário de morte e de ressurreição, para que todos tenham vida em abundância (Jo 10, 10). A esta Sua obra missionária, Jesus quer associar todos os discípulos: aqueles que são baptizados no Seu nome e aqueles que Ele chama a uma vocação de especial consagração (sacerdotes, religiosas, religiosos, leigos). Desta identificação sacramental com Cristo nasce para todos o dom e o empenho da Missão a favor do anúncio do Evangelho aos povos que ainda não o conhecem.


À pergunta do Mestre: «podeis beber o cálice…?», os discípulos Tiago e João respondem: «podemos» (v. 38). Nesta resposta há uma dose de presunção, mas também generosidade e audácia. Depois do Pentecostes do Espírito, eles terão efectivamente a força de dar tal supremo testemunho. Também hoje, perante as múltiplas exigências do empenho missionário da Igreja no mundo inteiro, é pedido a todos os cristãos para dar respostas concretas e criativas, segundo a condição de cada um. A alguns é pedido um serviço missionário para toda a vida, mesmo em lugares distantes e perigosos; a outros, é pedida própria vida… A todos, o contributo da oração, empenho eclesial e partilharia solidária com os necessitados. (*)


Em sintonia com o Evangelho de hoje, o Papa, na mensagem para o Dia Mundial das Missões de 2009, recordava a todos que o espírito de serviço é fundamental para um válido e coerente anúncio do Evangelho de Jesus. «Os discípulos espalhados por todo o mundo trabalham, afadigam-se, gemem sob o peso dos sofrimentos e dão a vida. Reafirmam com vigor tudo aquilo que foi dito muitas vezes pelos meus venerados Predecessores: a Igreja não trabalha para estender o seu poder ou afirmar o seu domínio, mas para levar a todos Cristo, salvação do mundo. Nós não queremos senão colocar-nos ao serviço da humanidade, especialmente daquela mais sofredora e marginalizada».


Um exemplo de serviço gratuito até às extremas consequências, é certamente São Damião de Veuster, missionário leproso, canonizado em outubro de 2009, que fez a sua opção de ir para a ilha dos leprosos de Molokai (Ilhas Havai), tornando-se assim o servo sofredor, leproso com os leprosos, durante os últimos quatro anos da sua vida. O mês de outubro oferece-nos numerosos exemplos de santos missionários que deram a sua vida para anunciar o Evangelho. São Daniel Comboni (10 de outubro) escolheu «fazer causa comum» com os povos africanos, gastando-se inteiramente por eles. Os santos mártires canadianos João de Brébeuf e companheiros (19 de outubro) e os dois catequistas ugandeses, os beatos David e Gildo (20 de outubro) enfrentaram o martírio nos caminhos da missão. Outros exemplos de santidade missionária vêm-nos dos novos santos que o Papa Bento XVI canoniza domingo 21 de outubro, no contexto do Dia Mundial das Missões, do Sínodo para a Nova Evangelização, no início do Ano da Fé, dom a acolher, viver, transmitir.


Palavra do Papa


(*) «O mandato de anunciar o Evangelho não se esgota, para um Pastor, na atenção para com a porção do Povo de Deus confiada aos seus cuidados, nem no envio de alguns sacerdotes, leigos ou leigas fidei donum. Ele deve envolver toda a atividade da Igreja particular, todos os seus setores, numa palavra, todo o seu ser e o seu agir. O Concílio Vaticano II indicou-o com clareza e o Magistério sucessivo reafirmou-o com vigor. Ele exige uma adequação constante de estilos e vida, planos pastorais e organização diocesana a esta dimensão fundamental do ser Igreja, especialmente no nosso mundo em contínua transformação. E isto é válido também para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, bem como para os Movimentos eclesiais: todos os componentes do grande mosaico da Igreja devem sentir-se profundamente interpelados pelo mandato do Senhor de pregar o Evangelho, até que Cristo seja anunciado em toda a parte».


Bento XVI


Mensagem para o Dia Mundial das Missões de 2012


No encalço dos Missionários


- 18/10: S. Lucas, autor do terceiro Evangelho e dos Atos dos Apóstolos, companheiro de Paulo na missão na Macedónia e outros lugares (Atos 16, 10s).


- 19/10 SS. João de Brébeuf, Isaac Jogues, sacerdotes jesuítas, e outros companheiros mártires, missionários entre os Urones e os Iroquezes (Estados Unidos da América e Canadá, † 1642-1649).


- 19/10: S. Paulo da Cruz (1694-1775), promotor de missões populares com a mensagem da Paixão de Cristo; é fundador dos Passionistas.


- 19/10: B. Jorge (Jerzy) Popieluszko (1947-1984), mártir, sacerdote polaco, zeloso e corajoso ministro do Evangelho, assassinado por ódio à fé.


- 20/10: BB. David Okelo e Gilgo Irwa, jovens catequistas e mártires (de 16 e 12 anos), assassinados em Paimol (Kalongo-Norte Uganda, †1918).


- 21/10: Dia Mundial das Missões, com o tema (2015): «MISSÃO: o que o amor não pode calar.» - 50.º aniversário do decreto "Ad Gentes", saído do Concílio Vaticano II (1962-1965), sobre a atividade missionária.


- 21/10: B. Laura Montoya y Upeguí (1874-1949), missionária colombiana entre os indígenas e fundadora; morreu em Medellin (Colômbia).


- 22/10: B. João Paulo II (1920-2005), papa desde outubro de 1978. Empreendeu numerosas viagens apostólicas aos cinco continentes, criou as Jornadas Mundiais da Juventude, escreveu várias encíclicas e outros documentos pontifícios, promoveu o novo Código de Direito Canónico (1983) e o Catecismo da Igreja Católica (1992).


- 23/10: S. João de Capistrano (1386-1456, sacerdote franciscano, missionário e pregador eficaz em vários países da Europa central e oriental. Trabalhou pela liberdade e a união dos cristãos.


- 24/10: S. António Maria Claret (1807-1870), espanhol, pregador de missões ao povo, fundador, bispo de Santiago de Cuba. Morreu no exílio em França.


- 24/10: S. Luís Guanella (1842-1915), sacerdote italiano, fundador de dois Institutos para a assistência aos pobres e doentes.


- 24/10: Dia das Nações Unidas (Organização criada em 1945).


Colaboração e agradecimentos


Coordenação: P. Romeo Ballan - Missionários Combonianos (Verona)


Sítio Web: «Palavra para a Missão»